Como Avaliar o Grau de Inovação de um Produto ou Serviço?

Nas últimas semanas, eu procurei estudar um pouco mais sobre inovação, criatividade e insights. Não sei exatamente de onde veio essa vontade repentina, porém pode estar relacionada ao fato de eu ter começado a escutar o podcast do Murilo Gun (se tiver um tempo, escuta. É bem legal! =]). Ainda dentro desse contexto, acabei assistindo a alguns vídeos no YouTube e dois deles me chamaram atenção. O primeiro foi um vídeo da Marta Gabriel falando a respeito da mudança da Era da Informação para a Era da Inovação. O segundo é um vídeo que exibe uma aula do professor Edgard Charles, onde ele fala sobre inovação e suas metodologias.

Depois de ver e analisar toda essa informação, eu acabei criando uma teoria (é APENAS uma teoria) de como avaliar o grau de inovação de um produto ou serviço. Como sou uma pessoa da área das ciências exatas (nerd é osso ¬¬), preferi definir essa teoria como uma fórmula, a qual pode ser vista abaixo:

(CRIATIVIDADE + CONHECIMENTO + AÇÃO) x ALCANCE = GRAU DE INOVAÇÃO

onde,

CRIATIVIDADE + CONHECIMENTO + AÇÃO = INOVAÇÃO

logo,

INOVAÇÃO x ALCANCE = GRAU DE INOVAÇÃO

Como é possível perceber na fórmula, para mim, o grau de inovação é composto por quatro componentes: criatividade, conhecimento, ação e alcance. Dentre esses componentes, a combinação da criatividade com conhecimento e ação gera a inovação. Desse modo, o grau de inovação de um produto ou serviço é a relação entre a inovação e o alcance obtido no mercado.

A explicação sobre cada um dos componentes da fórmula pode ser vista a seguir.

Criatividade

A criatividade é o “core” da resolução de problemas. Por sua vez, a solução imaginada para resolver um determinado problema é chamada de ideia. Dessa forma, a criatividade pode ser descrita como a capacidade humana de ter ideias para a resolução de problemas.

Para gerar inovação, a ideia não precisa ser original. O uso de uma solução antiga em um novo contexto, uma mudança no modo de aplicação da solução ou a combinação de soluções para resolver um problema também gera inovação.

Conhecimento

Toda inovação é desenvolvida a partir de conhecimento prévio. O conhecimento para gerar inovação não precisar necessariamente ser científico, ou seja, aquele que foi investigado e provado cientificamente. Na verdade, qualquer tipo de conhecimento é capaz de gerar inovação, seja ele um conhecimento técnico, popular (senso comum) ou teológico.

Ação

A inovação depende da ação que você tomou após ter uma determinada ideia. Essa ideia deve ser colocada em prática para que haja inovação. Portanto, a ação é o que faz com que a sua ideia seja transportada para o mundo real.

Alcance

Essa componente está relacionada ao quantitativo de pessoas que foram impactadas pelo produto ou serviço criado. Esse é o motivo pelo qual ela é diretamente proporcional ao grau de inovação. Sendo assim, se um produto, o qual foi resultado de uma inovação, alcançou 100 mil clientes e o concorrente 30 mil, esse produto, a meu ver, tem um grau de inovação maior do que o concorrente. Outra observação importante é que, como mostra a fórmula, caso o alcance do serviço ou produto seja zero, o grau de inovação dele também é zero. Em resumo, para se ter algum grau de inovação é necessário impactar pessoas.

O que achou da fórmula? Concorda ou discorda? Deixe sua opinião nos comentários.

Deixe uma resposta